skip to Main Content
20211229 084713
20211229 084713
20211229 085250
20211229 085715
20211229 093258
20211229 093641
20211229 093814
20211229 094542
20211229 095941
20211229 100005
20211229 100031
20211229 100049
20211229 100125
20211229 100156
20211229 100234
20211229 100317
20211229 100429
20211229 100634
20211229 100953
20211229 101230
20211229 102141
20211229 084713 20211229 085250 20211229 085715 20211229 093258 20211229 093641 20211229 093814 20211229 094542 20211229 095941 20211229 100005 20211229 100031 20211229 100049 20211229 100125 20211229 100156 20211229 100234 20211229 100317 20211229 100429 20211229 100634 20211229 100953 20211229 101230 20211229 102141

Milho é tema de Dia de Campo na Cotrirosa

Uma manhã de aprendizado e muito conhecimento marcou a realização do Dia de Campo da Cotrirosa sobre a cultura do milho. A atividade aconteceu na quarta-feira, 29 de dezembro, na área experimental da Cooperativa, na Escola Estadual Técnica Fronteira Noroeste, em Santa Rosa.

Na ocasião, foram abordados os seguintes assuntos: híbridos de milho, manejo de pragas em milho (cigarrinha), manejo de pragas em soja (trips e ácaros) e diferentes épocas de semeadura da soja. Na oportunidade, o engenheiro agrônomo da CCGL, Glauber Stürmer, destacou a importância de um manejo adequado e preventivo para minimizar os impactos das pragas na cultura.

“Mesmo o momento não ser o mais favorável para a cultura do milho, devido a estiagem, na área experimental a gente consegue perceber o desempenho de cada tecnologia em diferentes variedades de milho”, destaca o engenheiro agrônomo da Cotrirosa, Jairton Dezordi.

São sete empresas (For Seed, De Kalb, Agroeste, Brevant, Syngenta, Limagrain e Pionner) que juntamente com a Cotrirosa proporcionam a realização do Dia de Campo, que é uma oportunidade que os produtores têm para ampliar o conhecimento. “Transferir as tecnologias e os resultados obtidos com experimentos nas diferentes variedades de milho é apenas um dos objetivos do Dia de Campo. Queremos que o produtor tenha acesso às tecnologias para aplicar esse conhecimento no campo, proporcionando assim maior produtividade e rentabilidade das lavouras”, comenta Jairton.